Resultados de um estudo em fase inicial realizado pela farmacêutica chinesa Sinovac apontaram que a CoronaVac é segura e capaz de criar anticorpos contra a Covid-19 em crianças e adolescentes. Os dados preliminares são de testes clínicos com mais de 500 pessoas entre 3 e 17 anos que receberam duas doses médias ou baixas do imunizante ou de placebo. Segundo os pesquisadores, a maioria das reações adversas foi leve e apenas duas crianças tiveram febre alta. Para o médico infectologista, Renato Kfouri, é importante realizar estudos com essa faixa etária, mas ainda é muito cedo para tirar conclusões. “Quando falarmos em vacinação no sentido de controle da pandemia, diminuição de transmissão e os programas de vacinação tiverem outro objetivo que não desse primeiro, de controlar casos graves, certamente a inclusão de crianças e adolescentes deverá ser feita. Muitos dos países, jovens como o nosso, tem nos adolescentes e crianças cerca de um quarto da população.”

Os níveis de proteção desencadeados pela CoronaVac foram maiores do que os verificados em adultos de 18 a 59 anos e em idosos. Renato Kfouri ressalta que cada vacina tem um comportamento diferente em termos de resposta imunológica. “Lactentes, crianças menores de 1 ou 2 anos, 3 a 6 anos, 10 a 15 anos, eventualmente, você pode encontrar diferenças. Há vacinas que quanto mais jovem melhor a resposta imunológica, outras vacinas, se a criança tem mais idade, a resposta imunológica se apresenta de forma mais duradoura”, avaliou. Os testes de estágio avançado, que avaliam a capacidade da vacina impedir que a Covid-19 evolua para quadros graves, ainda não começaram para menores de idade.

*Com informações da repórter Letícia Santini