Após pedido de reconsideração apresentado por Mayra Pinheiro, secretária de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde do Ministério da Saúde, o ministro Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal (STF) permitiu em nesta sexta-feira, 21, que a médica, conhecida como “capitã cloroquina”, permanecesse em silêncio durante seu interrogatório na CPI da Covid-19. “Diante das alegações e dos documentos agora apresentados, esclareço que assiste à paciente o direito de permanecer em silêncio – se assim lhe aprouver –quanto aos fatos ocorridos no período compreendido entre dezembro de 2020 e janeiro de 2021”, afirmou trecho da decisão emitida por Lewandowski. O ministro informou, ainda, que o resto da decisão emitida por ele na última terça-feira, 18, continua mantida. A “capitã cloroquina” deve comparecer diante de senadores na comissão parlamentar na próxima terça-feira, 25.