Com o agravamento da pandemia de Covid-19 no Brasil, a rejeição ao trabalho do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) na gestão de combate à doença bateu o maior índice desde o início da crise sanitária, em março de 2020. De acordo com levantamento do Datafolha, divulgado na noite desta terça-feira, 54% dos brasileiros veem a atuação do presidente como ruim ou péssima, contra 48% da última pesquisa feita em 20 e 21 de janeiro. O índice dos que acham que a gestão de crise é ótima ou boa está em 22% (contra 26% da última pesquisa), enquanto aqueles que acham regular está em 24% (ante 25% do anterior). Não opinaram 1%. O instituto ouviu 2.023 pessoas, por telefone, entre os dias 15 e 16 de março. A margem de erro é de dois pontos para mais ou para menos.

A pesquisa também perguntou aos entrevistados quem é o principal culpado pelo agravamento da pandemia, que já matou mais de 280 mil brasileiros, 43% responderam que é o presidente Bolsonaro, 17% responsabilizaram os governadores do estado e 9% fizeram menção aos prefeitos. O maior nível de rejeição ao governo vêm de quem tem ensino superior (65%), entre pessoas pretas (61%), entre funcionários públicos (60%) e no público feminino (58%).