Desde a última terça-feira, 20, toneladas de lixo estão sendo encontradas na Região Sul do litoral do Rio Grande do Norte, especialmente nas cidades de Baía Formosa, Canguaretama, Tibau do Sul e Nísia Floresta, além de João Pessoa, na Paraíba. Na quarta-feira, 21, a equipe de limpeza da Secretaria de Serviços Urbanos de Tibau do Sul e os voluntários da organização Tribo Bahia Ambiental coletaram meia tonelada de lixo na Praia das Minas. Segundo a Prefeitura de Tibau do Sul, a retirada foi realizada desde a Praia de Minas até Sibaúma, em Canguaretama. Nas imagens divulgadas pela Prefeitura, é possível ver pares de sapatos, seringas e tampas entre os objetos trazidos pelo mar. “As equipes de limpeza trabalharão para deixar nossas praias limpas novamente. Não sabemos de onde veio o lixo que foi trazido pelo mar, mas estamos agindo para minimizar os danos que isso causou às nossas praias”, disse o Secretário de Serviços Urbanos, Thomas Albuquerque.

Seringa, sapato, tampas e outros objetos na área da praia de Tibau do Sul

Seringa, sapato, tampas e outros objetos nas praias de Tibau do Sul, Rio Grande do Norte

O Instituto de Desenvolvimento Sustentável e Meio Ambiente (Idema) do Rio Grande do Norte afirmou que já entrou em contato com os municípios afetados pelo lixo vindo do mar, e com os estados vizinhos, Paraíba e Pernambuco, para verificar a ocorrência de algum incidente ambiental que possa ter ocasionado o aparecimento de resíduos sólidos nas praias. O Idema, no entanto, afirma que até o momento não dispõe de informações oficiais para determinar o que causou o incidente. A cidade de João Pessoa, capital da Paraíba, também registrou uma enorme quantidade de lixo na faixa de areia na última semana. Na terça-feira, 20, Autarquia Especial Municipal de Limpeza Urbana (Emlur) recolheu 12 toneladas de resíduos como materiais plásticos, panfletos de campanha eleitoral e embalagens. Cerca de 40 agentes ajudaram na retirada dos objetos. De acordo a vistoria realizada pela Prefeitura, não há comprovação de que os resíduos tenham vindo de rios e galerias do município. O governo municipal acredita que os resíduos podem ter viajado por correntes marinhas de outros Estados até as praias de João Pessoa.