A Agência Nacional de Vigilância Sanitária – Anvisa anunciou nesta quinta-feira, 20, que a empresa União Química Farmacêutica enviou um pedido de desistência do processo de desenvolvimento clínico da vacina Sputnik V no Brasil. O pedido foi encaminhado no dia 4 de maio, após o vencimento do prazo de 120 dias para que a empresa atendesse o pedido de exigência da Anvisa. A União Química havia submetido à agência, em 31 de dezembro, o pedido de anuência de estudos da vacina russa. Em face da ausência do protocolo clínico e de outros documentos e informações requeridas pela legislação sanitária, em 4 de janeiro a Anvisa emitiu uma exigência técnica à empresa para apresentação dos documentos, informações e esclarecimentos faltantes.

O laboratório não respondeu o pedido de exigência feito pela Anvisa para a apresentação do protocolo clínico de pesquisa da vacina Sputnik V no Brasil e optou pela desistência. A decisão foi publicada na quarta-feira, 19, na edição do Diário Oficial da União. De acordo com a Anvisa, a desistência é apenas para o processo de condução de estudo clínico no Brasil e não está relacionado ao pedido de uso emergencial, que é um processo distinto.