A Polícia Militar de Santa Catarina e a Capitania dos Portos desmobilizaram uma festa clandestina que acontecia no mar na cidade de Governador Celso Ramos, na Grande Florianópolis. O movimento incomum, com 23 lanchas ancoradas uma perto da outra, chamou a atenção das autoridades. Animado por música eletrônica, o evento contava ainda com um show ao vivo em um deck flutuante. A celebração, no entanto, feria diversos pontos do decreto que tem como objetivo frear o avanço da Covid-19 no Estado. Ele limita, por exemplo, em 50% a capacidade de ocupação de embarcação, o que não foi cumprido por diversos convidados.

Segundo a polícia, três donos de embarcações foram autuados. Um barco foi apreendido porque não estava com a documentação em dia. O organizador do evento assinou um termo circunstanciado por desrespeitar as normas estaduais que visam impedir a propagação do coronavírus. O decreto catarinense proíbe expressamente a realização de encontros sociais. “Fica proibida a aglomeração de pessoas em qualquer ambiente, seja interno ou externo, em cumprimento às regras sanitárias emitidas pela Secretaria 
de Estado da Saúde”. De acordo com o Ministério da Saúde, Santa Catarina registrou, até este domingo, 18, 855 mil casos de Covid-19 e 12.541 mortes pela doença.