A partir de agora, segundo fontes da Jovem Pan, os Estados brasileiros devem receber semanalmente vacinas contra a Covid-19 — seja da Oxford/AstraZeneca ou a CoronaVac. Já dá para se ter uma espécie de previsibilidade maior com o aumento na escala de produção e registros dos imunizantes. Só a Fiocruz espera disponibilizar, ainda neste mês, para o Plano Nacional de Imunização do Ministério da Saúde, 3,8 milhões de doses.

Nos próximos meses: 30 milhões em abril; 25 milhões em maio; 25 milhões em junho; e 16,6 milhões em julho — somando 100,4 milhões de doses até o meio do ano com IFA importado. A ideia, segundo as fontes, é que toda semana essas vacinas estejam disponibilizadas pelo PNI aos Estados brasileiros. E quanto mais eficaz for esse processo de logística dos Estados, responsáveis pela distribuição aos municípios, mais rápido poderá caminhar o calendário de imunização Brasil afora. No Rio de Janeiro, por exemplo, o calendário já foi interrompido algumas vezes justamente por falta de vacinas.

*Com informações do repórter Rodrigo Viga