Pelo menos três hospitais privados de São Paulo estão com leitos para tratamento da Covid-19 totalmente ocupados: são eles o Hospital São Camilo, o Hospital Alemão Oswaldo Cruz e o Hospital Israelita Albert-Einstein. Apesar de não estar operando em sua capacidade máxima, o Hospital Sírio-Libanês também vive um momento crítico com 91% da sua ocupação geral. Veja, em detalhes, como está a situação de cada um:

Hospital São Camilo
Enfermaria – 100%
Leitos de UTI para casos da Covid-19 – 93%
*O hospital afirma que novos leitos estão sendo remanejados para suprir a alta demanda.

Hospital Alemão Oswaldo Cruz
Ocupação geral – 92%
Leitos de UTI para casos graves da Covid-19 – 100%
Leitos de UTI para casos menos graves da Covid-19 – 96%

Hospital Israelita Albert-Einstein
Ocupação geral – 100%
Leitos de UTI para casos da Covid-19 – 100%
*O hospital ressalta que possui um sistema de gerenciamento de leitos clínicos e de UTI que permite aumentar a capacidade de atendimento conforme a demanda, mas alerta que pode ser necessário “um tempo de espera” para obtenção de vagas.

Hospital Sírio-Libanês
Ocupação geral – 91%

Rede Municipal

Enquanto isso, na rede municipal a taxa média de ocupação de leitos de tratamento intensivo para infectados pelo novo coronavírus é de 83%. Já os leitos de enfermaria para a doença têm 77% de utilização. De acordo com assessoria, “a taxa de ocupação é dinâmica e pode variar ao longo do dia”. A expectativa é que na próxima segunda-feira, 15, 130 novos leitos de UTI sejam implementados na capital, sendo 100 no Hospital do M’ Boi Mirim, 20 no Guarapiranga, e 10 no São Luiz Gonzaga. Outros leitos de enfermaria também devem ser criados na próxima semana, sendo 105 deles no Hospital da Cantareira, 60 no Hospital da Capela do Socorro e 20 no Sorocabana.

*Com informações do Estadão Conteúdo