A Polícia Civil do Paraná procura o responsável por uma carta deixada sob a porta de uma jovem de 22 anos no distrito de Iguatemi, na cidade de Maringá, a 428 quilômetros de Curitiba, na última sexta-feira, 7. O papel recebido por Ana Paula Benatti pedia que a jovem “tivesse o pudor e a decência de usar roupas adequadas nas dependências do condomínio”, usando como justificativa o fato de que, no local onde ela mora, há pessoas casadas e religiosas. “A senhora não está tendo o respeito usando ‘roupas vulgar’, não sei de onde veio, mas aqui mora gente de família”, diz trecho do documento que foi compartilhado pela jovem em uma rede social. Na publicação, Benatti afirma que ficou “totalmente abalada com o ocorrido” e garantiu que tomaria “providências cabíveis” ao que ela considerou como “calúnia, difamação, assédio e perseguição”.

O autor da carta não se apresentou, mas se classificou como um “homem e pai de família”, disse ter ficado com vergonha de vê-la enquanto estava com a filha em uma área comum do condomínio, e afirmou que, caso a jovem não mudasse o “jeito de se portar” entraria em contato com a dona do apartamento alugado por ela. Em outra publicação na rede social, a jovem informou que uma reunião de condomínio foi feita para discutir o assunto e uma advogada passou a representá-la. Um Boletim de Ocorrência foi registrado na mesma semana. Em nota, a PCPR afirmou que “Os envolvidos serão ouvidos na delegacia da cidade de Iguatemi”.

* carta de ASSÉDIO e INJÚRIA *
venho compartilhar com vocês a carta que estava embaixo da minha porta hoje. Calúnia,…

Publicado por Ana Paula Benatti em Sexta-feira, 7 de maio de 2021