A Justiça de Santa Catarina recebeu nesta segunda-feira, 24, a denúncia do Ministério Público contra o jovem de 18 anos que matou duas professoras e três bebês de menos de dois anos em um atentado a uma creche na cidade de Saudades, no interior do Estado. Com a decisão, publicada pelo juiz Caio Lemgruber Taborda, da Vara Única da comarca de Pinhalzinho, Fabiano Kipper Mai se torna réu em um processo por cinco homicídios consumados e 14 homicídios tentados por motivo torpe, meio cruel e impossibilidade de defesa das vítimas, A defesa dele passa a ter o prazo de dez dias para apresentar argumentos e arrolar testemunhas enquanto o processo corre em segredo de Justiça.

De acordo com a investigação e a denúncia do MP, o autor do crime teria planejado o massacre por cerca de 10 meses. Nesse período, Fabiano teria entrado em contato com “vários fornecedores” para comprar armas de fogo e também fez pesquisas sobre outras armas, como arco e flecha. Sem sucesso, o criminoso passou a avaliar a possibilidade de praticar o ataque com armas brancas. Para o promotor responsável pela denúncia, Douglas Dellazari, a motivação da chacina foi “repugnante e imoral”. Dados divulgados pela justiça também mostraram que Fabiano Kipper Mai pesquisou sobre outros crimes semelhantes, participava de fóruns digitais sobre violência e teria “idolatria por assassinos em série”. Ele também buscou na internet informações sobre o retorno às aulas presenciais em Santa Catarina e, na véspera do ataque, fez uma pesquisa específica em relação à creche Aquarela.