Quatro dias após ser presa por suspeita de atrapalhar nas investigações da morte do filho Henry Borel, Monique Medeiros trocou de advogado de defesa nesta segunda-feira, 12. Até o momento, ela era acompanhada por André França Barreto, mesmo advogado do namorado, Dr. Jairinho, suspeito de ser o causador das agressões que mataram o menino. Passam a atuar como a defesa da professora os advogados Thiago Minagé, Hugo Novais e Thaise Mattar Assad. O criminalista Minagé, presidente da Associação Brasileira dos Advogados Criminais (Abracrim), é conhecido por ter assumido no começo de 2020 a defesa de Eduardo Cunha.

Com a separação das defesas, Monique pode mudar a estratégia de defesa. Os advogados afirmaram que estão em um momento de estudo e análise do inquérito policial. “A defesa possui apenas uma estratégia: atuar com a verdade. Trabalharemos com os fatos conforme ocorreram”, pontua nota enviada à Jovem Pan. Monique, presa desde a última quinta-feira, 8, foi internada na madrugada desta segunda no Hospital Penal Hamilton Agostinho com um quadro de infecção urinária. Ela foi medicada e recebeu alta no começo da tarde. A Polícia Civil ainda analisa laudos periciais do caso, mas o delegado Henrique Damasceno, da 16ª DP do Rio de Janeiro, afirmou que não há dúvidas sobre a autoria do Dr. Jairinho no crime.