O ministro do Turismo, Gilson Machado, ressaltou a necessidade de preservação ambiental para ampliação do turismo no Brasil. Ele participou de um debate nesta segunda-feira, 10, da Comissão de Desenvolvimento Regional e Turismo do Senado com representantes do setor hoteleiro para falar sobre os efeitos da pandemia no turismo. Gilson Machado classificou o Brasil como “a bola da vez” e, na contramão do que ambientalistas têm afirmado, disse que o Brasil é o mais preservado do mundo. “Nós somos, sim, a bola da vez. O mundo já está vendo isso. Nos conquistamos muita confiança do mundo, principalmente por atitudes desse governo.”

O ministro disse que os próprios turistas não querem estar em um ambiente que não esteja preservado e eles mesmos denunciam irregularidades. Para Gilson Machado, a Amazônia é um bioma que está preservado. Na comissão, ele disse ainda que o próprio presidente da República tem muita consciência ambiental. “Eu sempre conversei com o presidente, não é de hoje que conheço ele. E ele também tem uma consciência ambiental impressionante. O presidente sabe da importância de pegar um tucunaré, tirar uma foto e soltar. Ele sabe da importância de ter um rio preservado o rio limpo.”

O presidente da Comissão, senador Fernando Collor, também falou sobre a necessidade do cuidado sustentável no país. “Nós tratarmos os nossos rios, as nossas praias como se fossem locais de jogar dejetos é a mesma coisa de trabalhar contra o nosso turismo.” O ministro do Turismo disse que o setor no Brasil vinha caminhando de forma positiva antes da pandemia e que o problema do país é o que chamou de ideologia. Gilson Machado disse que, para superar a crise, ele afirmou ser necessária a flexibilização de leis trabalhistas e se posicionou contra o lockdown. O ministro do Turismo afirmou que o mercado norte-americano vislumbra boas perspectivas de investimento no Brasil e que pretende fazer o setor tão próspero quanto o agronegócio.

*Com informações da repórter Camila Yunes