O presidente do Senado Federal, Rodrigo Pacheco, afirmou nesta quarta-feira, 17, que a prisão do deputado federal Daniel Silveira (PSL-RJ) deve ser tratada pelos procedimentos próprios da Câmara e do Supremo Tribunal Federal (STF), respeitando a Constituição e a lei do país. “Atentar contra a Democracia e suas instituições é gravíssimo, sujeito ao crivo ético e judicial. Por outro lado, prender ou manter preso alguém antes do julgamento deve continuar a ser tratado como grave exceção”, disse em publicação nas redes sociais. O recém-eleito para o comando do Senado falou que o Estado Democrático de Direito está “acima de todos” e tentou minimizar as repercussões que a prisão deve ter nos próximos dias.

“Não elevaremos esse episódio a uma crise institucional. Seguimos com as prioridades comuns do Brasil: vacina, auxílio e reformas”, afirmou, reforçando as bandeiras que ergueu durante a sua cerimônia de posse. Na manhã desta quarta, poucas horas após a prisão do deputado, o presidente da Câmara, Arthur Lira, anunciou uma reunião extraordinária da mesa da casa e do colégio de líderes para avaliar e discutir a prisão. Daniel Silveira foi preso em flagrante em casa a pedido do ministro Alexandre de Moraes poucas horas após publicar um vídeo com ataques a membros da Corte.