Pela primeira vez na história, o número de mortes ultrapassou o de nascimentos na primeira semana de abril, na região Sudeste do Brasil. Foram 13.998 nascimentos entre 1º e 8º dias deste mês, contra 15.967 notificações de óbitos no mesmo período. Os dados da Associação Nacional dos Registradores de Pessoas Naturais são preliminares, uma vez que os cartórios de todo o país têm o prazo de 10 dias para fazer os registros. Especialistas acreditam que o fato inédito deve atingir o país como um todo.

Em março, que foi o mais mortal da pandemia no Brasil, a diferença entre nascimentos e mortes foi a menor dos últimos anos. Com as famílias brasileiras tendo menos filhos, a discrepância entre quem chega e que se vai passou a ficar cada vez menor. A previsão do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística era a de que essas duas linhas iriam se cruzar em 2047. No entanto, a pandemia de Covid-19 pode acelerar esse fenômeno.

*Com informações da repórter Nanny Cox