A Polícia Federal deflagrou, na manhã desta quinta-feira, 25, uma operação para investigar um grupo suspeito de oferecer, ao Ministério da Saúde, 200 milhões de doses de vacina contra a Covid-19 em nome de um grande consórcio farmacêutico. A ação foi batizada de Operação Taipan. São cumpridos, nesta manhã, sete mandados de busca e apreensão em Minas Gerais e Espírito Santo por ordem da Justiça Federal do Distrito Federal.

Se confirmados, os fatos apurados configuram associação criminosa, estelionato em face de entidade pública, falsificação de documento particular e falsificação de produto destinado a fins medicinais. As investigações começaram após notícias serem encaminhadas à PF pelo pela própria pasta. No conteúdo, pelo menos duas pessoas, por meio de duas empresas, apresentaram credenciais falsas e afirmaram ter exclusividade para o comércio do lote de imunizante. Além do Ministério, essa oferta também foi feita para outros gestores públicos.