A Polícia Federal (PF) cumpriu um mandado de prisão na manhã desta sexta-feira, 19, durante a Operação Deepwater, que investiga o maior vazamento de dados do país. Segundo a PF, os inúmeros dados sigilosos de pessoas físicas e jurídicas ficaram ilicitamente disponíveis, em janeiro de 2021, em um fórum na internet especializado em trocas de informações sobre atividades cibernéticas. Foram divulgadas informações de cerca de 223 milhões de brasileiros, incluindo pessoas mortas. Entre os dados, foram divulgados CPF, CNPJ, nome completo e endereço. Após representação feita pela PF solicitando medidas, o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes expediu ordens judiciais.

“A divulgação de parte dos dados sigilosos foi feita gratuitamente por um usuário do referido fórum que, ao mesmo tempo, expôs à venda o restante das informações sigilosas que poderiam ser adquiridas por meio do pagamento em criptomoedas”, explica nota. A PF identificou o suspeito pela prática dos delitos de obtenção, divulgação e comercialização dos dados. Nesta manhã, foram cumpridos cinco mandados de busca e apreensão e um mandado de prisão preventiva nos municípios de Petrolina, em Pernambuco, e Uberlândia, em Minas Gerais. A PF ainda identificou um segundo hacker que estaria vendendo os dados por meio de suas redes sociais.