A polícia de São Paulo desmantelou uma quadrilha que sequestrou um idoso de 78 anos de idade. Luiz Lourenço Nogueira foi pego na porta da sua residência e colocado num carro prata na zona leste da capital paulista no dia 22 de março. Pouco tempo depois o filho da vítima, Alexandre da Silva Nogueira, recebeu uma ligação que partiu do próprio telefone do pai. Na conversa, o bandido exigiu a quantia de R$ 500 mil pelo resgate. A família deu início às negociações e pediu tempo ao bando para levantar o dinheiro. Um dos sequestradores enviou mensagem em tom de ameaça.

“Já falei para os caras que estão com o seu pai no cativeiro lá, mano. Amarra lá, mano. Os braços dele para trás, falou, meu? Levar ele num local de mato fechado, falou, mano? Dispensar ele lá dentro do mato lá, irmão, deixar ele agonizando lá, falou, cara? Nós ainda vai [sic] falar para ele é, na sua mente aí ó, você vai morrer com isso também, tá? Por causa do maldito do seu filho lá, ó. Tem dinheiro pra caralh*, podia pedir R$ 1 milhão para ele, R$ 500 mil eu estou pedindo, estou pechinchando ainda, baixei a porr* do preço com ele, entendeu? E ele ainda está fazendo isso com o senhor aí, ó.”

O criminoso persistia com as ameaças dizendo que tinha levantado tudo sobre as finanças da família. “Toda sua família aí, ó. É isso aí que vai ser passado. Certo, bicho? É ele com essas últimas palavras na cabeça dele, ô maldito do caralh*. Vem com essas aí que você não tem dinheiro, rapaz. Não tem o caralh*, mano. Tem carros aí, mano só de carro aí dá mais de R$ 1 milhão aí, rapaz. Seu apartamento aí, seus investimentos. Você achar que eu estou de bobeira, irmão? Fiz um levantamento da sua vida tudo não para saber se você ia pagar um dia essa porr* aí?”

No dia 24 de março os sequestradores libertaram a vítima em Vinhedo, sem o pagamento do resgate, mas continuaram com as extorsões. Os investigadores iniciaram as buscas e prenderam José Silvanio de Oliveira, conhecido como Bahia, responsável pelas informações que viabilizaram o sequestro. As diligências localizaram o cativeiro na região de Itupeva. Lá, foram presos Robson Rufino da Silva e Inácio Antônio dos Santos vigia do local.

O diretor do Departamento de Operações Policiais Estratégicas, Osvaldo Nico Gonçalves, aponta que um dos integrantes trabalhou para o idoso que faz tratamento de diálise. “Os três judiaram desse senhor de 78 anos, um deles foi empregado dele por mais de 20 anos, trabalha no ramo da construção. Impressionante, um ex-funcionário de 20 anos armar um sequestro para o ex-patrão.” A operação denominada Jandira, contou com a ajuda de membros da delegacia antissequestro.

*Com informações do repórter Daniel Lian