A Polícia Civil do Rio de Janeiro indiciou nesta terça-feira, 1, o vereador Jairo Souza Santos Junior, conhecido como “Dr. Jairinho“, pela tortura de uma criança de 3 anos de idade cometida no ano de 2015 contra o filho de uma amante dele no Rio de Janeiro. O vereador, que foi preso pela morte do menino Henry Borel, de 4 anos, em abril, foi indiciado pela nova agressão após dois meses de investigações, oitivas da vítima e da irmã dela. Segundo os relatos prestados à PCRJ, o vereador teria torturado a criança a sufocando com sacos na cabeça e dando pisões no abdômen. O menino teria tentado fugir das agressões saindo do carro do vereador e, na queda, fraturado o fêmur. “Nos documentos enviados pelo hospital à delegacia, há relatos de uma psicóloga informando que o paciente chorava e que não queria entrar no veículo em que se acidentou. Segundo os médicos, o menino apresentava dois hematomas na bochecha e assaduras nos glúteos, comprovando outras agressões naquele mesmo dia”, diz trecho da nota divulgada pela polícia.

Na ocasião, Jairinho e a amante tinham afirmado à polícia que o menino teria sofrido um acidente automobilístico. Por causa do acobertamento e do fato de que a amante continuou a expor o filho a Jairinho após a agressão, a polícia também indiciou a mãe da vítima pelo crime de omissão. Os dois também responderão por falsidade ideológica. Essa é a terceira vez na qual Jairinho é indiciado pela tortura de crianças desde a morte de Henry. Além do crime cometido contra o enteado morto no mês de março, ele foi alvo de outra investigação e indiciado pela agressão contra uma menina filha de outra ex-namorada dele no ano de 2011.