A Polícia Federal deflagrou, na manhã desta terça-feira, 6, a Operação Checker. Cerca de 12 policiais federais cumprem dois mandados de busca e apreensão em Umuarama, no Paraná, com o objetivo de desmantelar um esquema de fraudes no recebimento do auxílio emergencial e identificar o envolvimento de organização criminosa na ação. De acordo com a investigação, os fraudadores usavam programas de computador que geravam CPFs e softwares chamados “checkers” que indicavam nomes aptos a receber o auxilio do governo federal.

O dinheiro era sacado diretamente no caixa eletrônico ou por meio de transferências PIX. O prejuízo causado às vítimas e aos cofres públicos, segundo um levantamento inicial, está próximo a R$ 1 milhão. A partir de materiais apreendidos, acredita-se que esse número possa aumentar. Com a ação fraudulenta, centenas de pessoas foram impedidas de receber o benefício. De acordo com a PF, o líder do esquema já foi investigado por crimes similares desde o início do programa de auxílio emergencial. A Polícia Federal acrescentou que, em razão do pior momento da pandemia, foram distribuídos EPIs a todos os envolvidos na missão.