Entre a última sexta-feira, 12, e o domingo, 14, o governo do estado de São Paulo autuou 197 estabelecimentos que descumpriram as regras de restrição durante o final de semana. Os comércios que foram penalizados infringiam as normas relativas ao limite de circulação, do horário de funcionamento ou das regras que determinam o uso obrigatório de máscaras e distanciamento social em público. A fiscalização foi realizada pela Vigilância Sanitária Estadual, Polícia Militar (PM) e Procon-SP, que trabalharam em conjunto. A ação foi reforçada pelo Comitê de Blitze, da Prefeitura da Capital, formado pela Guarda Civil Metropolitana e a Covisa (Coordenadoria da Vigilância Sanitária).

Em nota, o Procon-SP explicou as penalizações. “A restrição de circulação se aplica a qualquer atividade não essencial e qualquer aglomeração em espaços coletivos, como estabelecimentos comerciais, bares, baladas, restaurantes, dentro dos critérios já estabelecidos pelo Plano São Paulo. Estes espaços privados estão sujeitos a fiscalizações, orientações e autuações pela Vigilância Sanitária e pelo Procon-SP. A Polícia Militar realiza bloqueios orientativos aos cidadãos em diferentes regiões do Estado.”

Segundo o governo de São Paulo, a fiscalização foi intensificada nos últimos dias devido ao posicionamento do governador João Doria, que anunciou na última quinta-feira, 11, que todo o estado entraria na fase emergencial do Plano São Paulo a partir desta segunda-feira, 15. “A fiscalização foi intensificada nos 645 municípios a fim de coibir a realização de eventos clandestinos, aglomerações e pancadões”, registrou o Procon-SP. Neste momento, São Paulo vivencia a pior etapa da pandemia, ultrapassando a marca de 10 mil pacientes contagiados com a Covid-19 internados em UTI. Além disso, o estado registrou 5.259 novos casos do novo coronavírus e 100 novas mortes em decorrência de complicações da doença nas últimas 24 horas.