A prefeitura da Praia Grande fechou, neste sábado, 20, a faixa de areia e o calçadão da orla, para combater o avanço da Covid-19. O isolamento dos 23 quilômetros foi feito através de faixa zebrada e cavaletes. A ciclovia da orla está liberada somente para deslocamentos essenciais como, por exemplo, de uma pessoa que vai ao trabalho. Demais atividades relacionadas a lazer e atividades físicas estão suspensas. O uso de máscara também é obrigatório neste espaço. Equipes de fiscalização estarão atuando no local para impedir infrações. Os agentes terão como foco, neste primeiro momento, orientar e conscientizar as pessoas da importância das medidas de restrição. As determinações devem valer, inicialmente, até o dia 4 de abril.

A Prefeitura da Praia Grande enviou para a Câmara Municipal duas propostas que buscam endurecer as regras relacionadas ao enfrentamento da pandemia. Com isso, a cidade espera reforçar junto à população a importância de evitar aglomerações e a obrigatoriedade do uso da máscara. Caso sejam aprovadas pelos vereadores municipais, quem for flagrado pela fiscalização infringindo a legislação terá que pagar multa que varia entre R$ 500 e R$ 5 mil.
A sessão na Câmara Municipal, para a análise dos propostas, está marcada para terça-feira.

A prefeita da cidade, Raquel Chini, disse que a administração municipal tem trabalhado de forma intensa para agilizar a compra de vacinas, para acelerar  a imunização da população, mas alertou que, enquanto isso não acontece, o melhor a fazer é ficar em casa. A prefeitura definiu, também, a lista de medidas restritivas que serão colocadas em prática entre os dias 23 de março e 4 de abril, período em que a Baixada Santista terá lockdown. A Praia Grande proibirá o funcionamento de supermercados nos fins de semana e feriados, permitindo apenas o delivery, até as 20h. As feiras livres serão proibidas. Haverá, também, bloqueio em vias públicas, com força tarefa de polícia militar e guarda municipal, para verificar as pessoas e os veículos autorizados para circulação.

* Com informações da repórter Caterina Achutti