Em cerimônia, nesta segunda-feira, 17, com autoridades, professores e pais de alunos, a Prefeitura de Sorocaba oficializou a implantação do programa escola cívico-militar na unidade Matheus Maylasky. A escola municipal, que tem 875 estudantes, é a primeira a receber o programa no Estado de São Paulo. O Programa Nacional das Escolas Cívico-Militares (Pecim) é uma iniciativa do Ministério da Educação (MEC), em parceria com o ministério da Defesa. O MEC informou que não haverá alteração do conteúdo das disciplinas escolares e os militares darão apoio ao corpo docente, não ocupando cargos da educação. Eles terão a participação nos atos cívicos, no desenvolvimento de espírito de civismo e patriotismo, estímulo de atitudes, elaboração e execução do “projeto valores”, que estará em consonância com o projeto político-pedagógico da unidade escolar.

O deputado estadual Tenente Coimbra (PSL), que participou do processo de conversão da escola e é autor do projeto de lei que regula e expande as escolas cívicos militares para a rede pública de ensino, esteve na unidade a convite da comunidade escolar. “A escola cívico militar que você sabe aumenta nota no IDEB, tem média de 20% em uma avaliação superior, diminui 50% a evasão escolar e, no caso de Sorocaba, na unidade Matheus Maylasky, teve 80% de aprovação de toda comunidade escolar. Isso é um marco, é uma vitória”, disse, ressaltando que pretende implantar outras unidades escolares neste ano. “Como presidente da Frente Parlamentar pela implementação de escolas cívicos militares no Estado de São Paulo lutarei para que todas sejam implementadas esse ano e para que possamos em 2022 implementar cada vez mais e dobrar o programa.” No total, 13 monitores militares vão atuar na unidade escolar de Sorocaba, sendo dois oficiais, um capitão do Exército e um capitão de mar e guerra da marinha, um segundo-sargento e 10 suboficiais, todos da reserva.

*Com informações da repórter Elisângela Almeida