O senador Marcos do Val, relator do projeto que busca suspender o decreto das armas, criticou a decisão da ministra do STF Rosa Weber de suspender as decisões do presidente Jair Bolsonaro que entrariam em vigor nesta terça-feira, 13. Ele alfinetou, também, os parlamentares dos cinco partidos que “provocaram o Supremo” para esse resultado. “Reclama-se muito que o STF está sempre interferindo, mas é muito claro que quem faz essas provocações são os próprios senadores e deputados”, avalia. Do Val disse que Weber tomou a decisão com base em argumentos meritórios, não constitucionais, e que são facilmente questionáveis.

Em entrevista ao Jornal da Manhã, da Jovem Pan, Marcos do Val afirmou que esses parlamentares atuam por vários interesses — entre eles, políticos. “São partidos de oposição. Eles querem descontruir bandeiras do presidente da República. Quando se fala nos Estados Unidos, desarmar é impraticável.” O senador afirmou que possui arma há mais de 30 anos e que, nos últimos dias, intercedeu em uma tentativa de feminicídio na sua própria rua.

Marcos do Val afirmou que a esquerda “gosta de consumir drogas ilícitas” e, ao fazer isso, ajuda a sustentar o tráfico — que é quem importa armas do Paraguai. Ele destacou que a oposição força para que a sociedade acredite que a criminalidade aumenta porque um cidadão de bem fez todo o trâmite burocrático para cometer um homicídio. “Vamos imaginar que eu quero matar alguém. Compro um carro, emplaco, tiro CNH, passo por todos os testes. Mas pego o carro e mato alguém. Não faz sentido isso. Quem quer cometer crime não cumpre os trâmites legais.”

“Minha arma protege e salva vidas. Juntos, somos uma força aliada da polícia”, declarou. Ele também disse que tem uma placa na porta de sua residência avisando que os moradores são armas e peritos na utilização. “Na casa do lado não tem essa placa. O bandido que vai assaltar vai ler isso na minha e vai ver que na do lado não tem. Qual casa ele vai decidir entrar? Óbvio que não é na minha.” Ele completou: “Não é a arma que mata, mas as pessoas que matam. Com faca, carro, qualquer equipamento que seja.”