Todas as escolas estaduais e municipais da capital paulista estarão fechadas e com aulas presenciais suspensas a partir desta quarta-feira, 17. A medida busca conter a circulação de pessoas durante da Fase Emergencial do Plano São Paulo, reduzir a transmissão do coronavírus e, consequentemente, o número de casos, óbitos e internações pela Covid-19. Na rede municipal, um milhão de alunos iniciam o período de férias antecipadas, que aconteceria no mês de julho, segundo o calendário escolar. A previsão é que as atividades presenciais sejam retomadas no dia 5 de abril. Enquanto isso, o recesso na rede estadual acontece até o dia 28 de março. Apesar da suspensão de aulas, as escolas permanecem abertas para o fornecimento das merendas, entrega de materiais e chips de internet.

Os colégios particulares não concordam com o fechamento e solicitam ao poder público a continuidade das aulas presenciais para filhos de trabalhadores dos serviços essenciais e crianças com transtornos. A Secretaria Municipal de Educação disse, em nota, que segue as determinações da Saúde e que as escolas particulares poderão optar por permanecer com aulas online ou antecipar o período de férias. Também nesta terça-feira, a Câmara Municipal de São Paulo aprovou o projeto enviado pelo prefeito Bruno Covas, que autoriza a capital paulista a integrar o consórcio de municípios para a compra de vacinas contra a Covid-19. Mais de 800 cidades já participam da iniciativa para adquirir os imunizantes diretamente dos laboratórios.

*Com informações da repórter Caterina Achutti