A partir da segunda quinzena de março, o Instituto Butantan deve entregar 1 milhão de doses da vacina contra gripe para o Ministério da Saúde. No total, a entidade vai encaminhar 80 milhões de vacinas da influenza para o Plano Nacional de Imunização. A data ainda não está marcada, mas a campanha costuma ser realizada no mês de abril. O diretor do Butantan, Dimas Covas, garantiu que as fábricas tem capacidade para produzir as duas vacinas simultaneamente. “Desde setembro do ano passado, neste momento estamos produzindo 1 milhão de doses por dia. É isso que é o Butantan, o maior produtor de vacinas no Brasil e um dos maiores do mundo. Quer dizer, 1,6 milhão de doses por dia, 1 milhão de gripe e 600 mil da Covid-19.”

Estudos preliminares têm sugerido que a vacina da gripe poderia potencializar a imunidade contra o coronavírus e reduzir a chance de sintomas graves. A infectologista Raquel Stucchi recomenda o intervalo de 14 dias entre as aplicações, mas diz que não deve haver reações negativas entre as duas fórmulas. “Como as duas vacinas disponíveis no momento no Brasil são vacinas mais novas, que não tem nenhuma interferência para avaliar alguma reação da vacina, 14 dias depois da vacina contra a Covid-19 nenhum sintoma meu pode ser atribuído à vacina. Não é esperado que haja alguma interferência na produção dos anticorpos, tanto da gripe quanto contra a Covid-19. A gente pode tomar vacina da gripe e de pneumonia também”, disse. No ano passado, a campanha contra gripe foi dividida em três fases e chegou a ser prorrogada, durando de março até agosto. São Paulo, por exemplo, atingiu recorde de vacinados: 18 milhões de pessoas procuraram os postos de saúde. A busca foi, em parte, atribuída ao medo causado pelo próprio coronavírus. O Estado garante que está pronto para conduzir as duas campanhas simultaneamente sem causar aglomerações.

A coordenadora de Controle de Doenças da Secretaria Estadual de Saúde, Regiane de Paula, afirma que o pré-cadastro disponível para a vacinação contra a Covid-19 otimiza o processo burocrático da vacinação. “Vai gerar, claro demandas maiores, mas essas demandas serão absorvidas tanto pelo Estado quanto pelos municípios. Nós temos hoje uma campanha que é nominal, exatamente pelas questões emergenciais que foram aprovadas as vacinas. Automaticamente, os dados serão puxados e ao invés de ter que detalhar CPF, nome, endereço, isso já vai estar no sistema, inclusive com o lote da vacina que você vai tomar naquele momento”, afirmou. O pré-cadastro pode ser feito no site vacinaja.sp.gov.br. É importante ressaltar que o pré-cadastro não é um agendamento, e quem não o fizer será vacinado da mesma forma. São Paulo garantiu que há agulhas e seringas suficientes para conduzir as campanhas contra gripe e coronavírus ao mesmo tempo. No entanto, o governo pediu que o Ministério da Saúde faça a parte dele e encaminhe 3,4 milhões de unidades ao Estado.

*Com informações da repórter Nanny Cox