De acordo com a Secretaria Municipal da Saúde de São Paulo, a capital paulista não tem mais nenhuma dose da vacina da Pfizer em seus postos de saúde. A prefeitura recebeu as primeiras 135.720 doses da vacina Cominarty (produzida pela farmacêutica norte-americana) na última quarta-feira, 5, começou a aplicá-la no dia seguinte e registrou o esgotamento no sábado, 8. O lote foi usado iniciar uma nova etapa da campanha de vacinação paulistana contra a Covid-19, contemplando os idosos entre 60 e 62 anos. Isso não significa que essa faixa etária será desassistida. De acordo com a administração municipal, ainda há vacinas de outros fabricantes no estoque.

A Prefeitura de São Paulo afirma que a vacina da Pfizer foi priorizada porque seu prazo de validade é menor do que as outras. Recomenda-se utilizar o imunizante em apenas cinco dias. Devido à eficácia de 95%, o produto norte-americano provocou corrida às unidades de saúde da capital. “Não há razão para dar preferência a uma vacina ou outra, já que todas foram testadas e aprovadas”, advertiu a prefeitura. Nesta segunda-feira, 10, o Estado de São Paulo começa a vacinar maiores de 50 anos e pessoas com deficiência ou comorbidades. Os portadores de síndrome de down serão os primeiros.

Confira os próximos passos da vacinação em São Paulo: