O Afeganistão retomou nesta terça-feira, 17, os voos militares que evacuam diplomatas e civis do país. A liberação da pista aconteceu após milhares de pessoas desesperadas para saírem do país, depois da tomada pelo Talibã, se retirassem do local. Segundo um chefe de segurança ocidental, o número de civis diminuiu na região. Na segunda-feira, 16, imagens de pessoas tentando subir em um avião de transporte militar americano em movimento e caindo de longas alturas tomaram as redes sociais. Pelo menos duas pessoas morreram na queda e outras cinco em circunstâncias que ainda estão sendo esclarecidas. No Twitter, o representante civil da Otan, Stefano Pontecorvo, anunciou a retomada das viagens.

“A pista do aeroporto internacional de Cabul está aberta. Vejo aviões pousando e decolando”, postou. Durante a tarde, pelo menos 12 voos militares decolaram no local. Eram esperados aviões da Austrália e da Polônia. Sob pacto firmado no ano passado, o Talibã concordou em não atacar forças de fora do país quando elas partissem. O dia amanheceu em Cabul com clima de aparente calma, mas retorno lento das atividades sob comando do grupo fundamentalista. Assim como os voos, o tráfego de veículos também voltou a acontecer hoje. O principal porta-voz do Talibã, Zabiullah Mujahid, afirmou que a situação na capital está sob controle. “Foram presas algumas pessoas que estão envolvidas em transgressões”, disse. Além disso, eles informaram que a segurança de missões diplomáticas e humanitárias no Afeganistão estão garantidas.