O Pentágono informou em pronunciamento à imprensa nesta segunda-feira, 30, que as forças dos Estados Unidos impediram nas últimas horas um ataque com cinco mísseis contra o aeroporto de Cabul. Segundo o subdiretor de logística do Estado-Maior Conjunto, general Hank Taylor, os projéteis foram disparados contra a pista de pouso e decolagem na noite do domingo. “As forças militares americanas realizaram de forma bem-sucedida medidas de proteção de força para abortar este ataque”, comentou. Segundo Taylor, dois mísseis foram interceptados pelos sistemas de defesa e outros três caíram perto do aeroporto. Agências internacionais de notícias estimam que 10 pessoas tenham morrido e cinco tenham ficado feridas por um deles. A maioria delas era formada por crianças. O porta-voz do Departamento de Defesa, John Kirby, afirmou que os militares dos EUA que continuam no Afeganistão, na missão de proteção do aeroporto, operam em alerta para “ameaças potenciais futuras”.

Em coletiva, ele comentou que o nível de ameaça é “real”, “ativo” e “específico” diante de um possível ataque do grupo jihadista Estado Islâmico, que já clamou autoria pelo atentado com mísseis deste domingo. O prazo para retirada total das tropas do país da Ásia Central é esta terça-feira, 31, e parte das tropas começaram a sair da região nas últimas horas permitidas pelo Talibã. Na coletiva de imprensa, o Pentágono também detalhou que 1,2 mil pessoas foram evacuadas do país no domingo e disse que 28 voos deixaram a nação nas últimas 24 horas. Ao todo, 122 mil pessoas foram retiradas pelas forças norte-americanas da região. Entre elas, 5,4 mil cidadãos dos EUA.