O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, afirmou nesta terça-feira, 3, que vai pedir a renúncia do governador de Nova York, Andrew Cuomo, após investigação concluir que ele assediou funcionárias e “promoveu um ambiente de trabalho tóxico” no próprio gabinete. Durante coletiva de imprensa na Casa Branca, ele foi questionado por uma jornalista sobre se continuava com o posicionamento anterior em relação às denúncias contra o colega de partido, quando o democrata afirmou que pediria que ele renunciasse caso os assédios fossem confirmados. “Eu continuo com esse posicionamento”, respondeu brevemente o presidente. A jornalista voltou a perguntar a Biden se “Vamos dar um passo por vez: eu acho que ele deve renunciar, eu entendo que a legislatura do estado pode decidir abrir um impeachment, eu não tenho certeza disso, não li todo o documento”, afirmou.

Os investigadores ouviram 179 pessoas nos últimos cinco meses. “Especificamente, a investigação descobriu que o governador Andrew Cuomo assediou sexualmente funcionárias atuais e antigas do Estado de Nova York com toques sem consentimento e vários comentários ofensivos de cunho sexual”, afirmou a procuradora Letitia James. Em comunicado, o governador negou que tenha tocado em qualquer pessoa de forma inapropriada ou feito algum avanço sexual inapropriado. “Eu tenho 63 anos e vivi minha vida adulta inteira sob os olhos públicos. Essa não é a pessoa que eu sou”, disse. Ele alegou que “os fatos foram muito mais diferentes do que o apontado na investigação”.