A quarta onda da pandemia ganha força na Alemanha, com os novos positivos em crescimento exponencial, a taxa de vacinação em claro declínio e novas controvérsias em torno das restrições e imunização de menores. O Instituto Robert Koch (RKI) de virologia relatou neste sábado 8.092 novas infecções nas 24 horas anteriores (43% a mais que no sábado anterior) e 17 mortes decorrentes da Covid-19. A incidência cumulativa em sete dias aumentou para 51,6 casos por 100 mil habitantes (em comparação com 32,7 na semana anterior).

Pela primeira vez desde 26 de maio, a média nacional da incidência acumulada em sete dias ultrapassou a barreira dos 50, valor a partir do qual foram aplicadas restrições na Alemanha quando se considerou que a epidemia estava começando a ficar fora de controle. Nesta ocasião, o andamento da campanha de vacinação — após o período de fortes restrições entre novembro e junho — tornaram a situação diferente, embora o RKI tenha confirmado que a quarta onda já começou no país.

De acordo com o Ministério da Saúde alemão, 63,9% da população (53,2 milhões de pessoas) já receberam pelo menos uma dose da vacina, enquanto 58,8% (48,9 milhões) já receberam a diretriz completa. No entanto, o governo alemão e especialistas alertaram sobre a evolução da campanha, pois nas últimas semanas a taxa de injeções diárias e novas imunizações diminuiu significativamente.

*Com informações da EFE