A Suprema Corte do México descriminalizou o aborto em um julgamento nesta terça-feira, 7. Os magistrados decidiram que são inconstitucionais os artigos que penalizavam a interrupção voluntária da gravidez. O aborto já era legalizado em três Estados e na capital federal, a Cidade do México, até a 12ª semana de gestação. Nos demais casos, só era permitido por estupro e risco de morte da mãe. Agora, a decisão permite que as demais regiões do país também legalizem que o procedimento. Para que o aborto seja permitido nacionalmente, no entanto, ainda é necessário que os legislativos regionais regulamentem a decisão. Os debates sobre o tema na Suprema Corte tiveram início na segunda, a partir de condenações de três anos de prisão para mulheres que fizeram abortos de modo clandestino. Houve manifestações contra e a favor diante do prédio do órgão. Os que se posicionavam contrários ao aborto levavam cartazes dizendo “Salvemos as duas vidas”, além de imagens religiosas. O México registra uma alta taxa de gravidez entre adolescentes, com 77 nascimentos em cada mil mulheres entre 15 e 19 anos. A estimativa do Ministério da Saúde é que sejam praticados mais de 800 mil abortos clandestinos todos os anos no país.

*Com informações da repórter Nanny Cox