Os Estados Unidos confirmaram a morte de soldados das forças armadas do país poucas horas após duas explosões serem registradas do lado de fora do aeroporto de Cabul, no Afeganistão, nesta quinta-feira, 25. “Podemos confirmar que ‘um número’ de membros das forças dos Estados Unidos foram mortos no complexo ataque registrado hoje no Aeroporto de Cabul. Um número de outros soldados estão sendo tratados por ferimentos. Também sabemos que um número de afegãos foi vitimado por este ataque hediondo”, afirmou nota assinada pelo secretário de imprensa do Pentágono, John Kirby. No comunicado, o Exército também enviou condolências aos colegas e familiares dos mortos e feridos. A quantidade de vítimas norte-americanas ainda não foi oficialmente confirmada pelo Pentágono, mas, de acordo com o jornal Fox News, quatro fuzileiros navais teriam morrido no ataque.

A principal suspeita do Exército do país é de que o ataque tenha sido realizado pelo Estado Islâmico de Khorasan (Isis-K), braço do Estado Islâmico localizado na Ásia Central. Ainda no começo da semana, o presidente dos EUA, Joe Biden, afirmou que não pretendia estender a data final para retirada das tropas do país porque a ameaça de um ataque terrorista liderado pelo grupo – que tem o Talibã, o Afeganistão e os EUA como inimigos declarados – era iminente. Segundo números do próprio Talibã, pelo menos 13 pessoas morreram e mais de 50 ficaram feridas nas explosões, que ocorreram ao lado de um dos portões do aeroporto e próximo a um hotel a poucos metros do local da primeira explosão. Por comunicado nas redes sociais, o Talibã condenou os ataques na área e afirmou que as forças norte-americanas são responsáveis pela segurança no local.