A ex-presidente da Bolívia, Jeanine Áñez, apresenta quadro de saúde estável após uma tentativa de suicídio na prisão onde está detida desde março. Áñez tentou tirar a própria vida um dia depois que a Procuradoria-Geral Boliviana apresentou uma denúncia de genocídio contra ela pela morte de 22 manifestantes contrários ao governo, em 2019. A administração Penitenciária autorizou que um parente durma com ela na cela para acompanhar a recuperação. Familiares dizem que a ex-presidente passa por uma forte depressão e outros problemas de saúde e vêm pedindo a transferência para uma clínica especializada. A defesa chegou a entrar com pedidos de prisão domiciliar que negados pela Justiça. Jeanine Áñez foi presa em março deste ano e é acusada de terrorismo, sedição, conspiração, resoluções contrárias à Constituição e violação de deveres quando esteve na liderança da Bolívia, entre 2019 e 2020. Ela foi declarada presidente interina após o ex-presidente Evo Morales renunciar e deixar o país em meio a protestos contra um quarto mandato.

*Com informações da repórter Nanny Cox