Moradores da ilha de Evia, na Grécia, tentam nesta terça-feira, 10, salvar as próprias casas de incêndios florestais registrados na região há mais de oito dias. O fogo se alastrou em mais de 500 locais diferentes do país após uma forte onda de calor atingir o continente europeu na última semana. Segundo o Observatório Nacional de Atenas, até o dia 8 de agosto 25 mil hectares foram queimados. A ilha, segunda maior do país, é a mais atingida pelo fogo na região. As forças policiais tentam evacuar vilas, mas alguns dos moradores se recusam a sair para tentar evitar que o fogo atinja as próprias casas. Muitos se revezam em turnos para dormir e comer enquanto outros se juntam a bombeiros voluntários para controlar o fogo.

Na segunda-feira, 9, um fundo de € 500 milhões (mais de R$ 3 bilhões) foi aprovado pelo governo para reconstrução dos danos em Evia, Attica e Atenas, regiões mais afetadas, mas as autoridades continuaram sendo criticadas por deixar o fogo avançar por tantas áreas de mata. No domingo, 8, um bombeiro voluntário morreu ao tentar controlar o fogo em um parque nacional de Atenas e outras 20 pessoas ficaram feridas. O Reino Unido enviou três aviões e 80 bombeiros para tentar ajudar o país a controlar o fogo. A França também enviou 80 profissionais e três aeronaves para tentar controlar as chamas. A onda de calor que causou os incêndios trouxe temperaturas de até 45ºC ao país e deve seguir para a Itália na próxima semana. Até o momento, não há registros de mortes de moradores por causa do fogo ou por insolação.