A Autoridade do Canal de Suez afirmou nesta quinta-feira, 9, que um novo navio ficou preso momentaneamente na seção norte da passagem, que conecta o Mar Mediterrâneo ao Mar Vermelho e é uma via alternativa para que empresas não precisem contornar a África. O barco, um graneleiro de bandeira do Panamá chamado Coral Crystal, estava com 43 toneladas de carga e, segundo a autoridade do canal, sofreu com um “problema temporário” que o paralisou no meio da via. Os barcos que vinham atrás dele conseguiram usar um canal alternativo até que a embarcação panamense fosse “reflutuada” e conseguisse seguir sua rota sem causar qualquer impacto no tráfego de navegações. O tempo no qual o barco ficou parado não foi divulgado pelas autoridades.

O canal de Suez ganhou manchetes do mundo inteiro após o megacargueiro Ever Given ficar preso por seis dias no local no mês de março impedindo completamente a passagem nas duas direções. O congestionamento de navios na região só foi liberado seis dias após o navio desencalhar e a tripulação ficou quase quatro meses presa no canal porque o governo do Egito passou a exigir que US$ 916 milhões (equivalente a R$ 4,8 bilhões) fossem pagos pela empresa japonesa Shoei Kisen, dona do Ever Given. Após um acordo, firmado em cerimônia no mês de julho, o valor da multa foi reduzido para US$ 550 milhões (cerca de R$ 2,8 bilhões) e o cargueiro seguiu viagem. Cerca de 12% do comércio global passa pelo canal de 193 km. Por esse motivo, várias empresas sofreram com atrasos nas entregas e o preço do petróleo chegou a subir nos primeiros dias após o navio bloquear a via.