Às vésperas do fim da retirada das tropas estrangeiras do Afeganistão, os talibãs definiram neste sábado, 28, um prazo de uma semana para que todos os ex-funcionários do governo afegão deposto entreguem seus bens e suas armas do serviço público, um novo passo para a consolidação do regime. “Pedimos para que todos que têm veículos, armas, munições e outros bens do governo entreguem os itens mencionados aos órgãos relevantes do Emirado Islâmico [como os talibãs se denominam] no prazo de uma semana”, disse no Twitter o porta-voz principal do grupo, Zabihulla Mujahid.

O representante insistiu para que todos façam a entrega dentro deste período, para que “não haja necessidade de processar ou dar tratamento legal aos infratores caso sejam descobertos”. Embora os talibãs tenham tomado o poder em 15 de agosto, a liderança do movimento tinha ordenado aos seus combatentes que não entrassem nas casas dos funcionários do governo nem tomassem qualquer propriedade estatal até que a liderança decidisse. O movimento islâmico dá, assim, um novo passo no sentido de assumir o controle total do país, uma vez que os Estados Unidos e os aliados internacionais passam as suas últimas horas no país antes do prazo para a retirada total das tropas e o fim das evacuações internacionais. Um dia após a vitória dos talibãs, os EUA assumiram o controle da área militar do aeroporto de Cabul com um aparente pacto de não agressão que permitiu as evacuações, mas que está prestes a terminar.

Fontes talibãs disseram à Agência Efe que as forças do grupo começaram a tomar o controle da zona militar do aeroporto, que já tinha sido entregue pelos americanos. “As forças especiais talibãs ‘Victorious Force’ estão assumindo a parte militar do aeroporto de Cabul”, disse Bilal Karimi, um porta-voz talibã. “Algumas partes [do aeroporto] foram evacuadas [por tropas estrangeiras] e as nossas forças tomaram o controle das mesmas”, informou. A situação de segurança na capital afegã é agora a maior preocupação, após o ataque do grupo jihadista Estado Islâmico no aeroporto de Cabul por um suicida enquanto uma multidão tentava embarcar em voos para fugir do regime talibã. O ataque deixou pelo menos 170 mortos e dezenas de feridos.

* Com informações da EFE