O jornal alemão Deutsche Welle afirmou nesta sexta-feira, 20, que forças do Talibã que buscavam um jornalista do veículo de comunicação mataram um membro da família dele e feriram outro gravemente no Afeganistão após uma série de buscas de casa em casa para achar o comunicador perseguido, que está morando na Alemanha após fugir do país. Segundo o diretor-chefe do jornal, Peter Limbourg, outros parentes conseguiram escapar das forças insurgentes e estão em fuga. O DW pediu que o governo da Alemanha tomasse ação diante do crime. “O assassinato de um parente próximo de um dos nossos editores pelas forças Talibãs otem é extremamente trágico e uma prova do grande perigo sob o qual nossos empregados e seus familiares se encontram”, afirmou em nota.

Para o diretor, é evidente que o Talibã faz buscas organizadas por jornalistas em Cabul e em outras províncias do país. As casas de pelo menos outros três funcionários do canal foram revistadas e investigações sobre o sequestro de um apresentador de TV são conduzidas no país. O jornal também lembrou do assassinato de um tradutor que contribuia para a imprensa internacional no começo de agosto e da morte do fotógrafo Danish Siddiqui, da Reuters, vítima de um ataque supostamente de autoria talibã na cidade de Kandahar. Assim como o DW, a associação de jornalistas da Alemanha pediu que o governo tome ação rápida e providencie vistos para aqueles que contribuem para a imprensa internacional no país asiático.