No quinto dia de ofensiva contra o governo do Afeganistão, esta quinta-feira, 11, o Talibã declarou que ocupou a cidade de Faizabad, capital da província de Badakhshan, nona de 34 a se render às forças insurgentes que avançam pelo país. De acordo com a Al Jazeera, 65% do território afegão está ocupado pelo grupo, já que parte do país, principalmente as áreas rurais, já eram assumidas antes das ofensivas iniciadas em 7 de agosto. Nos últimos dias, as capitais ocupadas foram Zaranj, Farah, Sar-e-Pul, Sheberghan, Aybak, Kunduz, Taluqan, Faizabad e Pul-E-Khumri. Em conversa com agências internacionais, forças de inteligência dos Estados Unidos calcularam que o avanço das tropas devem cercar a capital do país, Cabul, em até 90 dias, o que pode gerar uma guerra civil diante da resistência do governo local.

A ofensiva faz com que muitos tentem deixar o país e seguir para nações vizinhas, como o Irã, e outros migrem para praças e ruas da capital, que vive clima de tensão com medo de que extremistas explodam bombas ou criem atentados para aumentar o clima de terror. Ainda nesta terça, a Alemanha e os Países Baixos anunciaram a suspensão de deportação para os afegãos que tiveram pedido de asilo rejeitado. O chefe do Exército, General Wali Mohammad Ahmadzai, que tinha assumido o posto no mês de junho, foi removido do cargo pelo presidente Ashraf Ghani nesta terça-feira. O representante do país voou até a cidade de Mazar-i-Sharif, tradicionalmente anti-talibã, para tentar articular forças contra os insurgentes. Até o momento, não há um nome definido para assumir a vaga deixada por Ahmadzai.