Após um terremoto deixar mais de 1,2 mil mortos neste final de semana no Haiti, uma tempestade tropical no Atlântico pode causar mais estragos no país durante a semana. Os ventos de 100 a 120 km/h, além das fortes chuvas, podem causar transtornos como deslizamentos de terra. O Haiti enfrenta, já há anos, uma enorme crise política e humanitária. Para piorar a situação, um forte terremoto atingiu o país na tarde do sábado, 14. Mais de 1,2 mil pessoas morreram e 2,8 mil ficaram feridas. De acordo com as autoridades, a região mais grave é a do Sul do país — onde pelo menos 500 pessoas perderam suas vidas. O chefe da Agência de Proteção Civil do país, Jerry Chandler, o terremoto destruiu quase 2,9 mil edificações e danificou quase 6 mil. Entre eles, estão hospitais.

Como as estradas também sofreram danos, o caminho até os canais de atendimento está prejudicado. Para piorar a situação, neste domingo, 15, um outro terremoto de 5,9 graus na escala Richter, de categoria superficial, foi notificado pelo Centro Sismológico Europeu do Mediterrâneo há apenas 8 quilômetros de profundidade. Segundo o primeiro-ministro do Haiti, Ariel Henry, foi decretado estado de emergência pelos próximos 30 dias. Em nota, o oficial lamentou as mortes e disse que já mobilizou os recursos do governo para dar apoio as vítimas. Nos últimos meses, o Haiti já tinha sofrido após o assassinato do presidente Jovenel Moïse em circunstâncias que ainda não foram explicadas.

*Com informações do correspondente Eliseu Caetano